Pastor narra últimos momentos de homem asfixiado com nitrogênio nos EUA: “Foi uma tortura”
29/01/2024

PUBLICIDADE

Alabama executa prisioneiro por asfixia com nitrogênio em execução histórica nos Estados Unidos O estado do Alabama, nos Estados Unidos, executou um prisioneiro por asfixia com nitrogênio pela primeira vez na história do país, na última quinta-feira (25).

Kenneth Smith, condenado pelo assassinato de uma mulher em 1988, foi submetido ao novo método de execução. O pastor evangélico Jeff Hood, conselheiro espiritual do prisioneiro, relatou que Smith aparentou estar "sofrendo" durante a execução.

Antes da execução, Smith expressou medo da tortura que poderia sofrer, mas também estava em paz com sua situação. Ele disse ao pastor que finalmente sairia desse lugar. O pastor acompanhou todo o processo e testemunhou o prisioneiro convulsionando por cerca de dois minutos antes de perder a consciência.

PUBLICIDADE

Contrariando as afirmações do governo local de que a inconsciência seria imediata, Smith lutou pela vida por vários minutos. O novo método de execução durou aproximadamente 22 minutos no total.

O pastor descreveu a experiência como um "show de horrores" e condenou o governo do Alabama e os agentes penais pelo que considerou uma tortura.

Testemunhas também ficaram chocadas com a falta de rapidez no processo. Kenneth Smith já havia sido submetido a uma tentativa frustrada de injeção letal em 2022.

O método com nitrogênio foi desenvolvido como alternativa, mas sua aplicação gerou preocupações quanto ao tratamento e falta de transparência.

A governadora do Alabama, Kay Ivey, confirmou a execução e afirmou que Smith finalmente respondeu por seus crimes horrendos após mais de 30 anos.

PUBLICIDADE

AD
Artigo